h1

Sour Times – Portishead

julho 14, 2008

 

http://sites.google.com/site/marmissite/Home/Portishead-SourTimes.mp3?attredirects=0

 Tempos Azedos

Fingir que ninguém pode achar
As Falácias de rosa de manhã
A fruta proibida, olhos escondidos
Fazem referência ao que eu desprezo em mim
Dê uma volta, tome um trago agora.
Porque ninguém me ama, é verdade
Não como você
Encoberto pela crença sega
Que fantasiam as telas cheias de pecado
Tolere os fatos, assuma a cor
Termine as promessas, não precisa mentir
Curta
Dê uma volta, tome um trago agora
Porque ninguém me ama, é verdade
Não como você
Woo oo Quem sou eu, o que e por que
Porque tudo o que me sobrou são as recordações de ontem
Oh, essas épocas azedas
Porque ninguém me ama, é verdade
Não como você
Depois de um tempo o gosto amargo
Da inocência, decência ou raça
Sementes espalhadas, vidas enterradas
Mistérios de nossos disfarces revolve
A circunstância decidirá ….

One comment

  1. Te vi na comunidade Blogueiros. Mto bom seu blog…



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: